A perspectiva tradicional da formação inicial não é mais adequada aos desafios de hoje

O processo de “construção” de competências é distinto da aquisição tradicional de saberes: traduz um deslocamento entre um sujeito consumidor de formações para um indivíduo actor da sua formação e do seu percurso profissional (Merle, 1997-a). A construção das competências é progressiva, e a experiência assume um papel determinante no processo de consolidação dos saberes. A construção de competências implica um processo dialéctico entre acção e reflexão, entre a actividade e a sua conceptualização. As competências desenvolvem-se na acção, através de diferentes tipos de processos e de acordo com diferentes lógicas, mas em articulação com a reflexão (Witorsky, 1998): através do exercício reflexivo na acção, sobre a acção ou antecipando a acção.

A perspectiva tradicional da formação inicial, que procura preceder o trabalho, não é mais adequada aos desafios colocados nos dias de hoje. As profundas mudanças sociais, em termos gerais, e as do mundo do trabalho e das organizações, em particular, exigem a adopção de novos quadros de referência para a acção educativa.

In “Aprendizagem de adultos: contextos e processos de desenvolvimento e reconhecimento de competências”, Ana Luísa de Oliveira Pires

Anúncios

Etiquetas: ,

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: