Archive for the ‘Observatório’ Category

Conheça as diferentes faces da crise em Portugal

1 Maio, 2012

In Fundação Francisco Manuel dos Santos

Anúncios

Em Portugal as mulheres ganham menos do que os homens e são mais afectadas pelo desemprego

29 Fevereiro, 2012

In “Retrato da situação no mercado de trabalho das pessoas com o ensino superior em Portugal 1998-2008

A solução da Troika para a crise pode ser a eclosão da mais grave crise social dos últimos 80 anos

21 Fevereiro, 2012

Después de décadas de “ayuda al desarrollo” por parte del Banco Mundial y del Fondo Monetario Internacional (FMI), un sexto de la población mundial vive con menos de 77 céntimos (de euro) al día. Lo que va a ocurrir en Portugal (siguiendo a lo que ocurrió en Grecia e Irlanda y ocurrirá en España, y tal vez no quede ahí) pasó ya en muchos países en desarrollo. La intervención del FMI tuvo siempre el mismo objetivo: canalizar el máximo posible de los empeños del país para el pago de la deuda. La “solución a la crisis” bien puede ser la eclosión de la más grave crisis social de los últimos ochenta años.
Portugal es un pequeño barco en un mar agitado. Se necesitan buenos timoneles, pero si el mar anda excesivamente agitado no hay barco que resista, incluso en un país que siglos atrás fue al descubrimiento del mundo a bordo de cáscaras de nuez. La diferencia entre entonces y ahora es que Adamastor era un capricho de la naturaleza; después de la tormenta volvía cierta bonanza, y sólo eso tornaba “realista” aquel grito de confianza nacionalista del: “Aquí, al timón,/ soy más que yo…”
Hoy, el Adamastor es un sistema financiero global controlado por un puñado de grandes inversores institucionales e instituciones satélites (banco Mundial, FMI, agencias privadas de calificación de riesgo) que tienen el poder de distribuir las borrascas para la gran mayoría de la población del mundo y la bonanza para ellos mismos. Sólo eso explica que los 500 individuos más ricos del mundo tengan una riqueza igual a la de los 40 países más pobres del mundo, con una población de 416 millones de habitantes.
In “Portugal, lo que está en juego”, Boaventura de Sousa Santos

A imperdível lição de Manuel Castells sobre Comunicação, Poder e Democracia

19 Fevereiro, 2012

O número de diplomados na área da educação caiu 60% em 8 anos

18 Janeiro, 2012

In “Diplomados no Ensino Superior [2000-2001 a 2008-2009]“ (página 11)

A análise lúcida da crise do euro por Manuel Castells

24 Outubro, 2011

Quando secou o crédito às empresas, a crise financeira converteu-se em crise industrial e de emprego. Os governos assumiram o custo de evitar o desemprego em massa e tentar reanimar a economia moribunda. Como pagar a conta? Aumentar os impostos não dá votos. Por isso, recorreram aos próprios mercados financeiros, aumentando sua já elevada dívida pública. Quanto mais especulativas eram as economias (Grécia, Irlanda, Portugal, Itália, Espanha) e quanto mais os governos pensavam apenas no curto prazo, maior eram o gasto público e o aumento da dívida. Como ela estava lastreada por uma moeda forte – o euro –, os mercados continuaram emprestando. Contavam com a força e o crédito da União Europeia. O resultado foi uma crise financeira de vários Estados, ameaçados de falência. Esta crise fiscal converteu-se, em seguida, numa nova crise financeira: porque colocou em perigo o euro e aumentou o risco de países suspeitos de futura insolvência.
In “Não é crise. É que não te quero mais

Os Portugueses não devem ser chamados apenas para receber e sofrer as más notícias

12 Outubro, 2011

Temos evidentemente um futuro. Mas não sabemos qual. Esse futuro depende cada vez mais de outros, dos vizinhos, do grupo do Euro, da União Europeia, dos Estados Unidos e até do resto do mundo. Mas não esqueçamos a lição de um académico americano, Jared Diamond, que alertou para a hipótese de povos e países decidirem, sem saber, extinguir-se. Vários povos, ao longo dos séculos, desapareceram dos seus territórios ou as suas nações dissolveram-se após longas fases de declínio e decadência em resultado da sua própria obra e das suas decisões. Os seus gestos e o seu comportamento eram deliberados, mas as suas fatais consequências eram desconhecidas.

Creio ainda que desta crise de incerteza resulta algo mais. A convicção de que os Portugueses não podem ou não devem ser chamados apenas para receber e sofrer as más notícias. Para matérias tão importantes como a sua Constituição e a integração europeia, nunca foram solicitados a debater e participar, menos ainda a aprovar. As escolhas actuais e a dureza do regime económico e social em que vamos viver são tais que é tempo de se fazer justiça ao povo. Informá-lo de modo completo e honesto, chamá-lo a discutir e dar a sua opinião seria uma excelente maneira de começar a olhar para o futuro.

In “Portugal, que futuro?”, António Barreto

Ranking mundial do talento em 2012

17 Setembro, 2011

In “Mapping Global Talent

(páginas 20 e 21)

Quadro comparativo dos salários dos professores nos países da OCDE em 2009

14 Setembro, 2011

C’est en Corée, en Espagne et au Portugal que le salaire relatif des enseignants dans l’enseignement primaire et le premier cycle de l’enseignement secondaire est le plus élevé : les enseignants y gagnent plus que les autres actifs occupés diplômés de l’enseignement tertiaire. Dans le deuxieme cycle de l’enseignement secondaire, le salaire des enseignants est supérieur de 10 % au moins a celui d’autres actifs ayant le meme niveau de formation en Belgique, au Luxembourg et au Portugal ; ce différentiel atteint 32 % en Espagne (voir le tableau D3.2 et le graphique D3.1)
In “Regards sur l’éducation 2011 – Les Indicateurs de l´OCDE“, Setembro 2011 (páginas 437 e 444)

Como utilizar o Gapminder no ensino

7 Julho, 2011

Faça o download e ensine os seus alunos a criar gráficos com o Gapminder World.